Tipos de conectores básicos de vídeo

Existem diversos aparelhos que fornecem ou que recebem sinais de vídeo. Abordaremos os conectores mais utilizados para segurança eletrônica.

1 – Conector BNC

Conector mais seguro para segurança eletrônica, utilizado em placas de captura de imagem, DVR Stand alone e câmeras. O conector BNC pode ser de parafuso, plástico, metal, solda, etc. Cada subtipo é melhor para um determinado tipo de cabo coaxial. Exemplo simples é que o conector de crimpar pode ser utilizado em cabos com núcleo de sinal rígido como o RG59 e o RG6 (TV a cabo). Já o conector de parafuso ilustrado abaixo é ideal para cabos 4mm, que são mais flexíveis e fáceis de trabalhar. O centro do conector é ligado no núcleo de cobre do cabo coaxial. O condutor externo do cabo ( que pode ser de alumínio ou cobre) será ligado no metal externo do conector.

Image

2 – Conector RCA

O conector RCA provavelmente não é novidade para ninguém. Este conector acompanha DVD’s, aparelhos de som, os antigos videocassetes, etc. Segue uma foto para refresca-los a memória.

A maneira de conectar o cabo coaxial ao conector RCA é semelhante ao método para conectar o plug BNC. O RCA é utilizado para fazer a ligação de uma câmera ou DVR Stand Alone a uma TV por exemplo. TV’s possuem conectores padrões RCA de entrada e saída de vídeo analógicas .

3 – Conector F

O conector F é bastante conhecido por ser largamente utilizado em antenas de residências. Existem diversos tipos de conectores F, assim como os plugs BNC. Está ilustrado abaixo 2 plugs, um de solda para cabo coaxial 4mm e outro de crimpar, para cabos com núcleo rígido.

Conector F solda

Conector F crimpar

4 – Conector VGA

Saída padrão de computadores e DVR Stand Alone. Atualmente a maior parte absoluta das TV’s LCD e monitores de computador possuem essa entrada de vídeo. Assim como a maior parte dos computadores e DVR também possuem essa saída de vídeo.

O cabo VGA pode ser feito ou comprado pronto. Porém, para passar por paredes, devido ao tamanho do conector do cabo feito, pode ser inviável sua passagem. Felizmente podemos fazer o cabo VGA comprando-o e soldando seus conectores. Segue abaixo duas imagens do conector pronto e  do esquema de ligação deste cabo.

Esquema de ligação

Cabo pronto

Como ligar câmeras de segurança

Existem diversos modos de ligar uma câmera de vigilância, mesmo porque existem também diversas qualidades de câmeras: CCD, Cmos, IP, Speed Dome, etc.

Ensinarei neste post como ligar uma câmera analógica (convencional) utilizando um cabo coaxial.

Primeiramente falarei rapidamente sobre os tipos mais comuns de conectores encontrados e os encaixes normalmente encontrados para eles.

1 – Conector BNC parafuso

Conector de vídeo utilizado para fazer conecções em câmeras de segurança, e em equipamentos de gravação (Placas de captura ou DVR Stand Alone)

2 – Conector RCA parafuso

Conector bastante utilizado em TV’s e monitores, onde será ligada a outra ponta do cabo. Um cabo que ligaria o vídeo de uma câmera a uma TV teria a aparência semelhante ao cabo mostrado abaixo. Onde a ponta Amarela ilustra o conector BNC macho e a outra ponta o RCA macho.

3 – Conector P4 alimentação

Conector utilizado para levar a energia da fonte de alimentação até a câmera. Existem polos nesse conector. A parte interna é a parte onde será ligada o sinal positivo da fonte de alimentação. A parte externa será utilizada para ligar o terminal negativo da fonte de aliemtação 12v.

A disposição dos conectores ficaria semelhante a do esquema abaixo>

Introdução a acesso remoto de câmeras

Boa noite!

Vou fazer uma breve explicação de como é feito o acesso remoto das imagens das câmeras através da rede local ou internet e de alguns detalhes que devem ser considerados ao configurar um acesso. Lembro que explicações detalhadas podem ser obtidas em alguns links fornecidos neste mesmo tópico, em breve estarei adicionando partes específicas do acesso.

1) Servidor de imagens com endereço fixo

O acesso remoto acessa a um computador ou dvr stand alone específico na rede do cliente. Para isso o dispositivo a ser acessado deve conter um ip fixo. O ip deve ser escolhido dentro de uma certa faixa utilizada pelo roteador/ servidor.

Exemplo de endereçamento IP:

IP:                                  192.168.1.110
Máscara de Subrede:      255.255.255.0
Gateway padrão:              192.168.1.1
Servidores DNS:               200.150.14.128
192.168.1.1

O importante deste primeiro item é que: todo dvr/computador deve ser endereçado corretamente. As etapas que irão se suceder dependerão disso. Outra ressalva importante: em grande parte das redes o endereçamento é feito de maneira dinâmica. Deve-se mudar isso ao menos no servidor de imagens. Para saber como deixar esse endereço IP fixo e saber como mudá-lo clique aqui.

2) Portas de comunicação do programa

As portas de comunicação são os meios de acesso a serviços oferecidos por seu computador, roteador, dvr.  Ao ser liberada uma porta, você está garantindo acesso ao serviço vinculado a ela. Por exemplo: na placa Geovision a porta vinculada ao site HTTP vem de fábrica como porta 80. O que significa que ao liberar a porta 80 e ativar o servidor de acesso remoto, teremos acesso à página inicial de login.

Porém, somente a liberação de uma porta (com raras excessões) não é suficiente. Deve-se liberar todas as portas que o equipamento utilizar pois cada uma estará vinculada a um serviço. Posso por exemplo liberar a porta de acesso à página, o que não resolve o problema caso a porta de acesso aos vídeos de transferência de dados não estiver liberada também.

A liberação e o redirecionamento devem ser permitidas nos equipamentos trabalhados, em modens, roteadores e servidores.

3) Redirecionamento de portas

Existem centenas de maneiras de fazer o acesso remoto e ela varia de rede para rede. Não basta decorar tudo, a melhor maneira de ter sucesso é entender como funciona a rede do cliente e como fazer o acesso.

Uma configuração mal feita pode deixar o cliente sem internet, sem acesso aos computadores e trazer transtornos.

O esquema a seguir mostra um esquema de rede onde são utilizados dois roteadores, um moden/roteador e outro roteador. O mais importante do acesso remoto é entender como a rede funciona.

O exemplo mostra vários computadores em uma mesma rede. Então, como acessar o computador das câmeras? O acessoé feito (geralmente) através de um programa ou pelo próprio browser de qualquer computador da rede. No caso do browser deve ser inserido o endereço do computador das câmeras e em seguida a porta de acesso. Exemplo: o ip configurado é : 192.168.1.115 e a porta de acesso configurada foi 8001.

No browser deve ser digitado http://192.168.1.115:8001   para acessar o computador/stand alone que já foi devidamente configurado.

Para saber como configurar cada porta e quais normalmente utilizar clique aqui.

Agora, notem que tanto o servidor de câmeras quanto os demais computadores estão ligados juntos no mesmo roteador. Não há nada bloqueando o acesso. Porém, quando se tenta acessar as câmeras através da internet, encontramos antes do computador das câmeras o modem e depois o roteador.

Quando eu tento acessar pela internet( qualquer lugar do mundo) eu devo acessar outro IP e não o do computador das câmeras. O IP que devo acessar é do modem. Quando acesso o IP do modem ele não possui o serviço de câmeras. Assim, ele deve transferir sua conexão para o local correto.

Esse exemplo é um exemplo comum. Nesse caso, se o computador das câmeras é acessado pela porta 8001, fazemos os seguintes passos.

a) Direcionar a porta 8001 do modem para o roteador

b) Direcionar a porta 8001(já direcionada anteriormente) do roteador para o computador das câmeras

Assim, ao acessar o IP do modem( que é diferente do IP das câmeras) pela porta 8001, sua conexão será direcionada para o local desejado.

Para saber sobre os tipos de IP e uma introdução a endereçamento clique aqui.

Com o redirecionamento concluído com sucesso temos uma última etapa.

4) Criação do domínio DDNS

Conseguimos colocar um IP fixo dentro da minha sub-rede para o computador das câmeras. Porém, não conseguimos fazer isso para nosso modem, servidor de internet para o cliente, sem pagar altas taxas para a provedora de internet. O DNS ( Domain Name System – Sistema de nome de domínios ) é o que envia o endereço para seu modem. Não é preciso tornar o DNS fixo e pagar taxas a mais. Existem serviços hoje chamados DDNS (Dynamic DNS – DNS dinâmico) que dão uma solução para o problema. Como o endereço de seu modem muda constantemente, o DDNS atualiza sempre para um servidor qual seu novo ip. Também traz um conforto de trocar os numeros por letras.

Por exemplo:

Hoje o endereço IP do meu modem é: 201.122.150.23
Amanha: 201.125.205.11

O meu DDNS cadastrado pode ser do tipo: http://lojadopaulo.ddns.com.br ou http://lojadopaulo.dyndns.org

Na prática, o DDNS mascara o IP seja ele qual for. E como é feito esse monitoramento de IP? Simples: um programa de autenticação instalado no seu modem ou roteador sempre notifica um servidor quando seu IP muda. Assim, quando vc acessa http://lojadopaulo.ddns.com.br ele te direciona para o IP atual do seu modem.

Existem diversos provedores de DDNS. Três dos mais utilizados são: DDNS da Winco, Dyndns e no-ip.
Podem ver com detalhes como cadastrar DDNS em computador pelo post “Criando DDNS em computador” .

No caso destes dois últimos, temos programas em computadores para acessá-los e também em vários roteadores, modems temos já uma área reservada para preencher com domínio, nome de usuário e senha para autenticação.

Links relacionados ( Em construção)

Noções básicas de endereçamento IP

Como configurar meu roteador

Liberar portas no firewall

Criando meu domínio DDNS

Criando meu domínio DynDns

O que são portas de acesso